Tradutor

segunda-feira, 9 de junho de 2014

Mídia e baderneiros tentam impedir reeleição de Dilma


Está tudo tão ruim no Brasil que a presidenta Dilma Rousseff provavelmente seria reeleita no primeiro turno nas eleições de outubro próximo.


Por isso a direita raivosa, as elites podres e sua porta-voz, a mídia golpista, que não conseguem vencer nas urnas, tentam paralisar o País com sucessivas e violentas manifestações, como a que acontece há 5 dias em São Paulo, onde um bando de arruaceiros transtorna a vida de 5 milhões de cidadãos e pretende atrapalhar a abertura da Copa do Mundo na quinta-feira, 12, na Arena Corinthians (Itaquerão), extremo leste da cidade.

Tudo é política. Tudo é interesse.

Econômico, financeiro, inclusive internacional, que quer abocanhar o Pré-Sal e impedir a expansão do Brasil no cenário global, expansão alavancada por Lula e Dilma.





Copa é pretexto, tudo é política e objetivo é eleição



Engana-se quem pensar que as greves selvagens, os protestos violentos e a baderna em geral vão parar depois da Copa. Toda a questão é política e o principal objetivo é impedir a reeleição da presidente Dilma Rousseff. De um ano para cá, desde as tais "jornadas de junho", interesses variados se uniram para mostrar que a situação fugiu do controle nas ruas e nos fundamentos econômicos, provocando o caos nas grandes cidades, criando um clima de medo e revolta na população.

Se você repete todo dia que tudo vai mal e, depois, vai fazer uma pesquisa perguntando como estão as coisas, claro que a maioria vai dizer que as coisas vão mal. Se você só mostra problemas no governo federal e omite ou minimiza os desmandos na administração estadual, a maioria vai dizer que a presidente vai mal e o governador está muito bem.

Desta vez, o Partido da Mídia está muito mais organizado do que nas eleições anteriores, preparou-se para o tudo ou nada, unido como nunca no Instituto Millenium, e já começa a colher os frutos, como mostram as últimas pesquisas que ela própria promove.

São as tais profecias que se auto realizam e não deveriam surpreender ninguém os últimos números divulgados pelo Datafolha, mostrando a queda de Dilma em direção ao piso de popularidade de junho do ano passado, no auge das manifestações, enquanto os índices do governador Geraldo Alckmin se mantêm impávidos rumo à reeleição. A culpa de tudo, como se lê no noticiário e ouve nas ruas, é do governo federal.

Claro que nada disso teria o mesmo resultado negativo para a situação e positivo para a oposição se a economia estivesse indo bem. Aí juntou a fome com a vontade de comer: deixando todos os flancos abertos na economia, sem mostrar nenhuma capacidade de reação, o governo Dilma é como aqueles times que recuam para garantir o resultado e pedem para tomar um gol. Acabam tomando.

Não é que a mídia tenha recuperado seu velho poder, mas parece óbvio que agora as condições concretas lhe são muito mais favoráveis para acabar com a hegemonia petista. Os gastos desnecessários ou superfaturados com a organização da Copa serviram apenas de pretexto para as turmas do passe livre, dos sem-teto revolucionários ou dos chantagistas sindicais, que agora resolveram reivindicar tudo de uma vez, colocando o governo contra a parede.

Depende, é claro, de qual governo estamos falando. Se a greve é dos motoristas que abandonam os ônibus atravessados no meio das ruas, um problema municipal, a Polícia Militar fica só assistindo, sem importunar ninguém. Mas se a greve é dos metroviários, um problema estadual, a mesma polícia tem ordens para baixar o cacete e acabar com os piquetes nas estações.

Este é o jogo e só não vê quem não quer ou tem algum interesse no resultado.


Destaques do ABC!


*

3 comentários:

  1. Leonardo Marques Arnaldo9 de junho de 2014 14:40

    Nada como o velho Lula(que tem seus erros,como todos nós),para reeleger Dilma. sobre São Paulo,ninguem protesta sobre a falta de Água sendo que muitos bairros da grande São Paulo e cidades do interior já estão com esse problema?cade Datena e Marcelo Rezende(os moralistas da tv)a cobrar isso? não cobram. Malkmin será reeleito e São Paulo pagará Mico!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo com o que diz. Uma manifestação violenta como essa dos metroviários, junto com MPL, sem teto e outros tantos, paralisando a cidade e 5 milhões de cidadãos, deveria ser contra o "show de barro" no Sistema Cantareira. Água é elemento fundamental de sobrevivência. E o Alckmin, pelas pesquisas, ganha no primeiro turno. É de doer esse povo paulista. Merece viver sobre os desmandos e incompetência desses tucanalhas... Abraços, Leo.

      Excluir
    2. Correção: "sob" os desmandos etc. etc. ...

      Excluir