Tradutor

domingo, 8 de maio de 2011

Uma mulher extraordinária



Hoje é Dia das Mães.

E eu quero aproveitar a data para contar pra vocês uma pequena história de vida e de dignidade.

Minha mãe já não está mais comigo fisicamente. Mas em mim ela vive e tem continuidade, pela hombridade, integridade e caráter que me legou.

Mulher simples, de origem camponesa, de raízes no mundo rural, de família pobre do Vale do Paraíba, interior de São Paulo. Mulher com pouquíssima instrução, sem o primário completo, sem diplomas. Lia bem, mas tinha dificuldade até para escrever o próprio nome. 

Mas que grande bagagem ética e estofo moral! Quantos valores imperecíveis a partilhar, a transmitir! 


Família Carvalho. Foto de meados dos anos 20 do século passado. Minha mãe, Geralda, é a segunda, da direita para a esquerda, junto do meu avô, Olímpio, de minha avó, Júlia, e de meu bisavô, Adolfo. A primeira à direita, tia Maria Olímpia, que não conheci. À esquerda, a querida tia Leonor, e ao lado dela o Zeca, falecido em criança.


Mulher de caráter, uma das coisas que me ensinou logo nos primeiros anos: "Não fazer ao outro o que não quer para si"... ensinamento básico da boa convivência entre os cidadãos, princípio fundamental da ética planetária.

Mulher de fibra, às vezes séria, às vezes dura, mas acolhedora dos mais frágeis, me ensinou também a solidariedade: "Fazer o Bem e não olhar a quem", ela dizia...

Apesar dos percalços que enfrento e que já contei aqui, sou uma pessoa feliz, bem estruturada, sem grandes conflitos. Venho de uma "árvore" abençoada. Sou ramo de árvore sagrada, símbolo de força, coragem, firmeza, resistência, lealdade, que não se verga diante de intempéries.

Na Grécia antiga, associada a Zeus, entre os romanos a Júpiter e até entre os celtas, os druidas, os nórdicos... a madeira do carvalho era usada em rituais mágicos e para acender o fogo sagrado.


O carvalho era considerado Árvore da Vida na era pré-cristã. As folhas e os frutos do carvalho propiciavam força, liderança, sucesso nas batalhas aos guerreiros que os utilizavam.

Em Roma, coroas feitas com folhas de carvalho eram concedidas aos generais bem-sucedidos nos empreendimentos bélicos.

                                        


Diz-se que ao pé de um carvalho Abraão recebeu as revelações de Deus. Ou seja, a árvore foi um instrumento de comunicação entre o Céu e a Terra.


O carvalho é árvore-símbolo de hospitalidade e acolhimento. Seus galhos e folhagem parecem abraçar os que nela procuram abrigo.




E vejam só que coisa interessante: o carvalho é usado por botânicos e geólogos para medir catástrofes naturais num ambiente. Se querem saber o índice de temporais e tempestades que aconteceram numa floresta, eles observam o carvalho, pois é a árvore que mais absorve as consequências dos temporais.


Quanto mais tempestades e intempéries o carvalho enfrenta, mais suas raízes se aprofundam na terra, mais seu tronco se enrijece, mais forte ele fica, sendo impossível arrancá-lo ou derrubá-lo!
 
Muitas vezes, depois de passar por tantas agressões naturais, o carvalho fica com uma aparência triste. Mas quando uma tempestade se avizinha, lá está ele de novo, firme e forte, para encarar o novo desafio.
 

O carvalho é símbolo da Vida e da verticalidade, em eterna evolução e ascensão para os céus. Árvore feminina, nutridora, muitos a associam à Grande Mãe.


*

9 comentários:

  1. Sonia:

    No ensinamento que lhe deu "Não fazer ao outro o que não quer para si"... , ela mostrou que tinha todo o conhecimento e a sabedoria necessários para ser DOUTORA na vida.

    Parabéns pela mãe que você teve, a minha também não era muito diferente.

    Bom domingo!

    ResponderExcluir
  2. Doutora na Vida, Giba. Falou tudo. Repassou a mim e a meus irmãos ensinamentos como este que você citou, um tanto "fora de moda" hoje em dia, nessa selva em que vivemos... Nossa geração em geral foi muito afortunada no quesito "família", "pais"... Estou certa de que você, assim como eu, é ramo de "árvores abençoadas"... Abração! Ótimo domingo também!

    ResponderExcluir
  3. Marco Antonio Carvalho de Oliveira9 de maio de 2011 15:47

    Ola prima Sônia, maravilhoso a postagem desta foto e dos seus comentários a respeito do Carvalho, da simbologia e tradição. Me orgulho muito de ser um ramo desta árvore. E de carregar em meu ser esses ensinamentos e costumes. Abs, Marco Antonio Carvalho de Oliveira.

    ResponderExcluir
  4. Se orgulhe mesmo, Marco. Todos nós que temos/tivemos mães e pais Carvalho temos que nos orgulhar de sermos ramos destas "árvores" abençoadas e sagradas. Tua mãe, que não existia ainda na época da foto, tia Leonor, a última à esquerda e as outras irmãs e irmãos e o vô Olímpio, claro, que eu e você conhecemos bem, todos eles só nos dão orgulho e saudades. E são um grande exemplo de dignidade pra todos nós. Abração e obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  5. Oi Sonia, mais um primo se apresentando asim como meu irmão Marco achei fantastico o depoimento sobre "nossas Mães" e de nossa família carvalho, somos com muito orgulho sim ramos destes carvalhos que passaram por muitas tempestades se fortaleceram e para nós se perpetuaram, apesar de terem partido, amo muito minha Mãe e todas as minhas tias e tios, presentes ou ausentes fisicamente, todos são muito importantes por tudo aqui já dito, e tudo que poderíamos dizer sobre eles, que acredito não daria para expor em simples palavras, as lembranças nos fortalece todos os dias. Abraços e obrigado pela homenagem.

    ResponderExcluir
  6. Oi, Edson, querido primo, obrigada pela visita! Pena que tua mãe não estava na foto... As irmãs Carvalho são mesmo guerreiras inesquecíveis!... E nós todos, ramos destas "árvores sagradas e abençoadas"... Disse bem: a lembrança deles todos nos orgulha e nos fortalece. Um abração carinhoso pra você, Adelina e toda a família!

    ResponderExcluir
  7. Edson Junior e Familia14 de maio de 2011 16:45

    Sonia, parabéns pela homenagem, gostei muito ,essas "irmãs Cavalho" só me deixaram muito boas lembranças e também muita saudade. junior e familia.

    ResponderExcluir
  8. Edson Junior e Familia14 de maio de 2011 17:02

    Parabéns, Sonia, gostei muito da homenagem, essas "irmãs Carvalho" só me deixaram boas lembranças ,e muitas saudades .

    ResponderExcluir
  9. Nossa, nem fale, Júnior... Gente dessa têmpera delas, dessa fibra, isso tá raro de encontrar hoje em dia. Mulheres maravilhosas, extraordinárias, fortes, solidárias... todas elas... Muito obrigada pela visita ao meu blog. Tudo de bom pra você, Sirley, Cauê, Ana Luísa. Beijão pra todo mundo!

    ResponderExcluir